Como funciona o algoritmo do Instagram e o impacto nas publicações


As redes sociais representam, hoje, parte indispensável das estratégias de marketing digital de marcas ao redor do mundo. Afinal, por meio dessas plataformas é possível alcançar o público com mais facilidade, criando um relacionamento entre consumidor e empresa.


Mas não para por aí. As redes sociais são muito populares e recebem, diariamente, bilhões de usuários. Logo, ao levar a sua marca para essas plataformas, você consegue um alcance muito maior em relação ao investimento, se compararmos, por exemplo, com ações em mídias off-line.


E no universo das redes sociais, o Instagram se destaca. A plataforma lançada em 2010 é a quinta mais popular do mundo, recebendo mensalmente cerca de 1 bilhão de usuários ativos e, ao dia, uma média de 500 milhões, de acordo com pesquisas mais recentes. Ou seja, na rede há muito espaço para crescer e muitas pessoas para impactar com a sua marca.


Porém, para isso é necessário criar conteúdo e garantir que ele tenha bons resultados.


É então que o algoritmo do Instagram entra em cena, como uma forma de determinar quais publicações são relevantes e devem aparecer no feed dos usuários, assim, garantindo a visibilidade que a sua marca sempre sonhou.


Entenda como o algoritmo do Instagram funciona e quais fatores são levados em conta na hora de entregar as publicações no feed dos usuários – e como tudo isso impacta a sua estratégia de marketing:

gif

Mas, afinal, o que é esse tal de algoritmo do Instagram?


O dicionário Oxford define um algoritmo como um “conjunto de regras e procedimentos lógicos perfeitamente definidos que levam à solução de um problema”. Simplificando, são critérios utilizados para definir algo, no caso do Instagram, quais conteúdos são relevantes para determinados usuários.


Por exemplo, uma publicação antiga, sem curtidas ou comentários, de uma página com pouquíssimos seguidores, raramente aparecerá no feed de alguém, pois o Instagram irá interpretar que ela não é relevante, como consequência do baixo desempenho.


Assim, o algoritmo do Instagram determina o que é relevante na rede social e personaliza o feed de cada usuário com seus gostos e preferências. O objetivo dessa estratégia é tornar a experiência do usuário ainda melhor, e isso inclui um feed personalizado.


O processo é feito através de uma inteligência artificial, que analisa dados e, com base no comportamento do usuário, define o que irá aparecer para ele. E tudo é levado em conta: o que o usuário curte, quais perfis ele segue, qual conteúdo ele consome e interage ao navegar pela rede.


Esse formato foi implementado em 2016, seguindo a onda do Facebook. Antes, o feed seguia a ordem cronológica das publicações e mostrava o que tinha de mais recente na plataforma.

gif